domingo, 16 de dezembro de 2012

“SENSIBILIDADE QUASE GAY” É UMA EXPRESSÃO DISCRIMINATÓRIA



Oi!!!

Hoje só vou comentar uma expressão mencionada pelo Jô Soares, quando ele deu uma entrevista pro Fantástico recentemente...
De acordo com ele, na infância, ele chorava muito porque tinha uma “sensibilidade quase gay”...
Bom, não vou nem questionar a frase dele em si. Mas esse tipo de ideia, de associar o fato de ser gay a sensibilidade, fragilidade e delicadeza, me parece algo extremamente incentivador de preconceitos.
Só o fato de achar que, apenas porque um homem é homossexual (ou seja, sente atração sexual por pessoas do mesmo sexo, pois ISSO e apenas ISSO é ser homossexual), ele tem a OBRIGAÇÃO de ser delicado, frágil e sensível, já é um preconceito. É claro que existem alguns homossexuais que são delicados, frágeis e sensíveis, mas também existem outros que não têm NADA a ver com isso.
E outra coisa: analisando bem, quando alguém nos rotula como “mais sensíveis”, na verdade está querendo dizer que nós somos MAIS FRACOS do que quem não é gay. Em última análise, é uma forma de nos associar a inferioridade.
Em Janeiro eu fiz um post sobre essa questão aqui no blog. Então, não vou dizer de novo aqui tudo o que eu disse lá pra não ficar repetitivo. Mas podem dar uma passada lá que vocês vão ver o post.
Aliás, reafirmo o que eu disse lá: sou mais “macho” que muito hétero.
Bom, clique aqui pra ver a entrevista do Jô soares:


Até!

Nenhum comentário: